Mefibosete

Esse texto, embora de minha autoria, foi inspirado por Deus através de algo que li no meu livro de devocionais Boa Semente, não lembro exatamente qual o dia, mas do mês de março. Deus nos abençoe.

‎2 Samuel 9 nos fala da vida de um jovem chamado Mefibosete, a qual é uma metáfora da nossa própria vida. Ele era neto de Saul, pior inimigo do rei Davi, mas Davi, ao invés de perseguí-lo e matá-lo, o convidou para sentar-se em sua mesa, o honrou, restaurou o seu status de realeza e o tratou como filho.

Assim também Deus trata conosco. Éramos seus inimigos (Romanos 5:8,10) mas Deus, através de seu Filho Jesus, nos restaurou, nos tornou filhos por adoção (João 1:12, Efésios 1:5), filhos do Rei onde podemos sentar à sua mesa, comer desfrutando de sua presença!

Mas não apenas isso, como Mefibosete, que era aleijado, não possuía a princípio qualquer serventia ao rei Davi, nós também somos servos inúteis, não temos como, por mérito próprio, ganhar esse presente de Deus. Deus age como Davi, por misericórdia nos recebe!

É algo sacrificial, um preço que é pago por alguém que nunca teria como pagar de volta, como aquele servo de que Jesus fala que teve sua dívida impagável e incalculável perdoada pelo Rei (Mateus 18:23-27).

Por isso ainda mais devemos ser gratos a Deus pelo seu amor, pela sua misericórdia, pelo sacrifício de Jesus, por ter nos resgatado, nos amado, nos feito seus filhos!

Anúncios

Tesouro escondido

Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo. Mateus 13:44

Quantos de nós temos passados diariamente por tesouros que se encontram ao nosso lado, ao nosso dispor, de forma gratuita ou por um preço irrisório frente seu real valor e não tomamos posse, não damos o devido valor, às vezes nem sequer nos apercebemos de que ele está ali?

A analogia empregada por Jesus do reino dos céus nos ensina algo valioso também para outras áreas da nossa vida, a saber, quando você encontrar algo importante, que realmente valha a pena, lute com unhas e dentes para obter, manter e evitar perder aquilo que você encontrou.

As oportunidades desta vida que vivemos nem sempre são iguais para todos, na maioria das vezes de fato não serão, e pode ser que você só tenha uma única boa chance que você terá que agarrá-la se quiser sair da situação em que se encontra e alcançar lugares mais altos, quem sabe até tornar real um sonho.

O engraçado dessa passagem é que diferentemente de outras em que somos instigados, urgidos mesmo a propagar as boas novas do amor de Deus, aqui vemos que o homem esconde o tesouro e bem na surdina vende tudo que tem e compra o lugar onde o mesmo se encontra e isso me traz algumas coisas à mente.

A primeira delas é que provavelmente o tesouro não podia ser retirado do local onde se encontrava sem que chamasse a atenção. Ora, o impacto do amor de Jesus na vida de um cristão é tamanha que não tem como não chamar a atenção, primeiro de seus familiares e depois das demais pessoas da sua convivência. Mas pensando fora da esfera espiritual, temos que ter cuidado com aquilo que é importante para nós em todos os aspectos e não tratá-lo como se fosse banal. Aquilo que tem valor deve ser protegido, guardado, vigiado. Isso é importante para bens, para pessoas e relacionamentos e até mesmo para aquilo que se passa em nossa mente e coração. Se aquele homem fizesse um estardalhaço a respeito daquilo que encontrou, surgiriam muitas pessoas interessadas nele somente pelo tesouro, e talvez sua própria vida corresse risco. Pense aí quantas pessoas talvez você conheça que se relacionam com outras com base em interesses diversos, não apenas no que a pessoa é, mas no que ela possui, no que ela pode oferecer.

A segunda coisa que me vem à mente é que talvez o valor daquele bem, daquele tesouro, não tivesse sido percebido pelas pessoas que certamente o abandonaram ali, o próprio dono do campo onde ele se encontrava, ou mesmo outras pessoas que circulavam por aquele lugar, porque caso contrário certamente o tesouro não estaria mais ali. Ora, se a “sorte” de encontrarmos um tesouro, uma oportunidade, bater à nossa porta, quando enxergamos claramente aquilo que ninguém ainda percebeu a sua importância, devemos fazer o possível e o impossível para não deixarmos passar, ou pior, alertarmos outros de que aquele negócio dará certo. É o custo da oportunidade, onde o primeiro a desenvolver algo torna-se o líder de mercado, por exemplo.

A terceira e última coisa em que penso, fugindo do tema óbvio da questão do reino de Deus, que eu procurei trazer aqui, é que aquele homem que encontrou o tesouro teve que abrir mão de tudo que tinha para adquiri-lo e fico pensando, quantos de nós estamos tão agarrados aos nossos bens materiais, à nossa zona de conforto que não temos coragem de arriscar, de largar tudo para trás em busca desse sonho, desse bem tão precioso? Será que você não tem hoje mesmo que abrir mão de alguma coisa, talvez coisas preciosas, a fim de conseguir aquele tesouro que realmente valerá a pena mais do que tudo?

Não sei até que ponto essa mensagem teve caráter espiritual. Foi uma reflexão de cunho mais prático mesmo sobre coisas da nossa vida que não damos o devido valor, não percebemos o valor, ou desperdiçamos tesouros que estão bem ao nosso lado. Que Deus nos ajude a prestarmos mais atenção no mundo que nos cerca, percebendo o valor em cada coisa, pessoa, relacionamento, gesto ou palavra de maneira a honrarmos mais ao Senhor através de nossas palavras, atitudes e ações, e àqueles que Ele mesmo nos tem dado cuidar.

Deixe a vida ter mais sabor…

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Mateus 5:13

Hoje estava almoçando com a minha mãe e reclamei que o almoço estava sem sal. Tudo, tudo mesmo, o arroz, o feijão, o macarrão, a carne. Faltava alguma coisa, porque o sal, se não dá o sabor dos alimentos, é de alguma forma responsável por sentirmos esse sabor.

Daí a gente parou um pouco pra conversar e ela me falou que apesar de o sal ser prejudicial porque aumenta a pressão, uma vez que ajuda a reter líquidos, não podemos viver sem ele porque, não só pelo sabor, o nosso corpo precisa do Iodo que o sal possui, para não termos bócio e outros problemas.

Mas… meu post não é nem sobre culinária nem sobre saúde, embora o que vou dizer tenha a ver com algumas coisas que são bem análogas ao sal na nossa vida.

Jesus nos diz que nós somos o sal da terra e nisso vejo algumas aplicações práticas para nossa vida:

1) Nós somos! As vezes possuímos um sentimento de inferioridade em nos acharmos sem valor algum. Quando Jesus nos diz que nós somos, Ele claramente está dizendo que isso é algo imediato, não temporário, nem futuro, mas presente. É algo que é intrínseco à nossa nova natureza de cristãos, de filhos de Deus! É interessante a gente se lembrar um pouco da história onde o sal tinha tanto valor que é daí que temos a palavra salário, pois os soldados romanos eram pagos através dessa “moeda”. E não estou nem falando do valor inerente do sal que se refira às suas propriedades químicas. Nós temos valor, valor que é dado por Cristo, e ninguém pode nos tirar esse valor, ninguém pode nos colocar pra baixo, pois Jesus nos devolveu, ajustou a nossa auto-estima.

2) Somos o sal da terra. Muitas vezes queremos ser sal dentro do saleiro. Ora, ser sal dentro do saleiro significa ficar quieto na nossa zona de conforto. Mas ser sal perto de outras pedras de sal é muito fácil. Difícil é ir pelo mundo afora salgando, ressaltando o sabor das pessoas! Fomos criados para salgar, o sal que permanece no saleiro não salga nada, e pode muito bem passar por qualquer outro produto como leite em pó, açúcar ou bicarbonato de sódio, então só vemos o valor, a importância, e que o sal é de fato sal quando o colocamos para fora, quando o usamos, e assim é nossa vida, somente quando agimos, quando pomos em prática aquilo que somos, espelho de Cristo nessa terra, é que exercemos o nosso valor!

3) E se o sal ficar insípido? Não sei quem de vocês já teve a experiência de usar sal molhado. Sal molhado é aquele que, por exemplo, fica úmido por passar muito tempo sem usar dentro de um saleiro. O sal perde o sabor, aliás, não só perde o sabor como acaba adquirindo outro, fica com um gosto estranho, você percebe logo que tem algo de errado com ele e pior, se tiver usado para salgar alguma coisa acaba por estragar o gosto dessa coisa também. Assim somos nós também. Deus nos criou com um propósito, e se não agirmos conforme o seu plano, se não caminharmos no caminho que Ele nos planejou, perdemos a razão de ser, deixamos de imprimir a nossa marca, ou melhor, a marca de Cristo no mundo, e passamos a nos deixar influenciar pela umidade do pecado. Quando não agimos no mundo, quando não vivemos o amor de Jesus ou não falamos do mesmo, como as pessoas podem nos reconhecer como filhos de Deus? Não podem, não têm como.

4) Será lançado fora. Não vou entrar em polêmicas doutrinárias, mas pense consigo mesmo o que você faria com um pacote de sal que você descobrisse que perdeu o sabor, perdeu sua função? Certamente você lançaria fora pois não serve pra nada, não tem mais valor. Quando não cumprimos o propósito para o qual somos chamados originalmente, a própria vida se encarrega de nos jogar fora, nos colocar de lado, as oportunidades passam a rarear, os relacionamentos parecem não dar mais certo, Deus mesmo passa a nos afastar de pessoas que estão sendo sal para que não contaminemos essas pessoas, não estraguemos o sabor que elas estão dando à vida.

5) Será pisado pelos homens. Aqui me veio à mente uma coisa que eu vi há muitos anos nos EUA, quando sal era usado para derreter a neve, para então os caminhões virem retirar o excesso das ruas para os carros poderem passar. É triste vermos pessoas que tinham um propósito de Deus para sua vida sucumbirem à planos B, C ou quem sabe até já esgotaram as letras do alfabeto porque não recebem mais outra oportunidade. Não estou dizendo que quem se permite ser usado por Deus será recompensado pela sociedade, mas que quando a pessoa que tem um talento o desperdiça, é uma vergonha para si mesmo, sua família e todos que lhe são próximos e importantes. Lembrei agora de uma reportagem que assisti um tempo atrás sobre pessoas que tinham tudo, eram formadas, bem sucedidas, por causa das drogas ou outra razão se deixaram abater, foram vencidas pela depressão e acabaram indo viver nas ruas, abandonadas à própria sorte, viraram uma mancha social. Talvez pior que ser pisado pelos homens é ser ignorado por eles!

Por isso, não fique de braços cruzados, não queira nem por mais um minuto continuar sendo sal dentro do saleiro, à mercê do tempo e da umidade de ser apenas mais um nesse mundo. O mundo não valoriza quem é apenas mais um, mas se você sair de sua zona de conforto e começar a fazer a diferença na vida daqueles que lhe cercam você rapidamente verá o impacto, a transformação. A vida, tanto a sua e muito mais a dos outros passa a ganhar novas cores, novo sabor! Permita-se usar pelo seu Senhor, aquele que te chamou para em Cristo ser nova criatura, sal e luz dessa terra, levando esperança a um mundo desesperado!

Assim como o sal, que na medida certa dá um sabor aos alimentos, não queira agir em excesso ou com intensidade demais, afinal, quem gosta de comida salgada demais? Sal demais é tão ruim ou pior que sal sem sabor, tanto como tempero quanto na nossa vida.

Ah, e não é só na vida dos outros que você tem que ser sal, deixe sua própria vida ter mais sabor, deixe as mágoas, o rancor, as tristezas e frustrações de lado e curta as coisas simples, um por do sol, a vista e a brisa do mar… Aprenda a valorizar o sal na vida dos outros também!

Jesus chorou e ainda hoje chora…

Jesus chorou. João 11:35

Jesus não era um ET, apesar de Deus, Ele também era ser humano, e experimentava as dores de um sentimento de perda. Quando Jesus perdeu seu amigo Lázaro e viu as demais pessoas que sabiam que Ele poderia tê-lo curado chorando, ele não aguentou e derramou lágrimas sinceras de solidariedade e tristeza.

Mas, não só isso, pense em quantas pessoas estão hoje indo para o inferno porque eu e você não nos dispomos a falar do amor de Cristo por elas. Como será que Jesus está se sentindo com relação a elas, caminhando a passos largos para sua morte eterna sem saberem que Ele já pagou o preço por suas vidas muito tempo atrás na cruz do calvário? Certamente está chorando muito mais…

Fofoca

Lembrando aqui do mal que é a fofoca, especialmente no meio da igreja. Sobre isso muito nos fala o apóstolo Tiago em sua carta, por exemplo:

Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. Tiago 1:26.

A propósito, compartilhar algo também pode se encaixar nesse comportamento, se envolver alguém que não a própria pessoa. Se você não sabe se é verdade, se não vai ajudar ou ser útil, fazer o bem ou diminuir o mal, não fale, fique calado. Pedido de oração pela vida do outro deve ser feito com muito cuidado, pois nem sempre há necessidade de divulgar o pedido nem o nome da pessoa, especialmente sem o seu consentimento.

Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo.

Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo.

Vede também as naus que, sendo tão grandes, e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa.

Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia.

A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.

Porque toda a natureza, tanto de bestas feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana; mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal.

Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.

De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.

Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Tiago 3:2-11

Por isso, se não for pra falar bem, fique na sua, não fale! Você só ganhará inimigos no meio de seus irmãos, e acabará queimando seu próprio filme porque quem gosta de andar com quem é fofoqueiro?

Quando um amor nos desvia o coração

E o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hetéias, das nações de que o SENHOR tinha falado aos filhos de Israel: Não chegareis a elas, e elas não chegarão a vós; de outra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se uniu Salomão com amor. E tinha setecentas mulheres, princesas, e trezentas concubinas; e suas mulheres lhe perverteram o coração. Porque sucedeu que, no tempo da velhice de Salomão, suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses; e o seu coração não era perfeito para com o SENHOR seu Deus, como o coração de Davi, seu pai, porque Salomão seguiu a Astarote, deusa dos sidônios, e Milcom, a abominação dos amonitas. Assim fez Salomão o que parecia mal aos olhos do SENHOR; e não perseverou em seguir ao SENHOR, como Davi, seu pai. 1 Reis 11:1-6

Salomão pagou um alto preço por ter desobedecido ao Senhor ao casar com as mulheres estrangeiras dos povos que eram abomináveis a Deus. A lição que nós, homens, podemos tirar de sua vida é para escolhermos bem a esposa com quem iremos passar o resto de nossas vidas, para que elas não acabem pervertendo o coração e nos desviando do caminho do Senhor.

Ao final da sua vida Salomão abandonou ao Senhor para servir aos deuses de suas esposas. Este é o mesmo rei a quem Deus deu toda a sabedoria disponível, cometendo atos de loucura e insensatez! Vaidade de vaidade, diria Ele mesmo após observar toda a besteira que cometera…

O filho do homem segundo o coração de Deus não se relacionou com Ele da mesma forma sincera, honesta que seu pai. A quem temos seguido? Que tipo de conselhos temos aceitado? Será que a vida que levamos honra aquilo que nossos antepassados fizeram, e mais ainda a Deus, ou será que somos dia a dia objeto de vergonha e chacota?

Amizade

Amizade implica em comunhão, como uma ex chefe que eu tive costumava dizer "amigo é aquele que frequenta a sua casa e você a dele". Por essa razão não consigo admitir amizade real e profunda à distância, você tem necessariamente que conviver com o outro no dia a dia para conhecer e ser amigo.

Além disso, amizade implica estar junto, sair junto, e embora possa até requerer um esforço por alguma ou ambas as partes para fazer isso virar realidade, não é algo que seja pesado. Amizade não constrange, pelo contrário, você sabe que é amigo quando pode contar com outro pro que der e vier, aliás, confiança e dependência mútua são fundamentais em um relacionamento entre amigos.

Amizade também requer estar disponível: para conversar, para calar… E você pode até dizer que é amigo de alguém, mas isso só será verdade se você estiver disponível para essa pessoa e ela para você quando um precisar do outro, ou mesmo quando não precisarem mas simplesmente desejarem. Não existe amizade sem mutualidade, é uma via de mão dupla, e quanto maior a intimidade, maior o tráfego nos dois sentidos.

Portanto, desconfie de "amigos" com os quais você não convive, não conhece profundamente, não pode confiar ou contar, não sai junto, não se fala… principalmente se você está sempre disposto e disponivel para tal e o outro lado nunca. A amizade nunca será 100% parelha, mas 0% também não existe.