Noite ruim

Depois de um dia cansativo de trabalho, numa operação que foi tranqüila, graças a Deus, tive uma noite ruim hoje. Até agora, pelo menos.

Foi o seguinte, quando saí pra casa de Sarinha, ainda aqui na Vasco, vinha em velocidade quando um carro que estava na minha frente freiou de uma vez e eu não tive opção a não ser desviar para não bater em sua traseira. Mal sabia eu que a razão da freiada dele foi um gato que atravessou em sua frente e veio parar onde? Na frente do meu carro, e para minha infelicidade (e sua mais ainda) era uma vez o bichano.

Liguei pra Sarinha, triste por ter mandado o gato pro céu dos animais, até porque tinha sido o meu primeiro (e Deus permita, o último) atropelamento de um animal, e continuei no meu caminho.

Mais adiante, no sinal já depois do retorno pegando a Lucaia, tinha um casal fazendo acrobacias e malabarismos, e pedindo um trocado. Normalmente esse tipo de coisa, admito, não me faz virar o rosto e até de certa forma me aborrece, mas como eram duas pessoas, de roupas normais mas com jeito de turista estrangeiro não consegui conter a minha curiosidade, e quando abri o vidro para dar umas moedas, e percebi o sotaque carregado, perguntei em espanhol de onde eram, ao que me responderam que da Argentina. Dei um ‘sejam bem vindos’ e fui embora, não sem antes pensar na tristeza que deve ser você largar o seu país para vir para o Brasil, e pior, Salvador, para pedir trocados fazendo malabarismos em sinal.

Pouco depois, próximo ao hospital Aliança, notei uma luz incômoda no painel do meu carro. Xi, pensei, deve ter sido o gato (ou melhor, castigo de Deus)… A bendita luz era a luz de alta temperatura do motor. Como meu carro infelizmente não tem um ponteiro indicador do nível da temperatura, só diz se tá frio ou quente, e para evitar maior estrago, resolvi parar na grama do canteiro central e esperar um pouco para ver se esfriava. Alguns minutos depois e percebendo que o carro não dava sinais de que iria melhorar, resolvi descer e verificar se havia alguma coisa que eu pudesse fazer para sair daquela situação, ou se perceberia algum vazamento, e foi o que aconteceu, pois vi que o líquido de arrefecimento do motor estava vazando. Como não tinha o que fazer, liguei pra seguradora e fiquei esperando o taxi e o reboque que eles iriam enviar (e foi o que aconteceu, graças a Deus) para me pegar, e a meu carro. Depois de uns 40 minutos eles chegaram, resolvi tudo que tinha para resolver e vim embora pro meu apartamento…

Amanhã terei, finalmente, que ir na Honda ver o que houve com o carro, e o prejuízo que terei que arcar. Espero, pelo menos, que dê pra consertar amanhã mesmo ou será um final de semana sem carro, sem contar o aborrecimento de ir pegar o carro segunda-feira, fora o trabalho que darei a Sarinha, minha motorista temporária, pelo visto.

Graças a Deus, pelo menos, no final das contas, que não faz 15 dias que renovei o seguro do carro, ainda estou pagando na verdade, porque parcelei. Além disso, dos males o menor, pois foi um gato e não uma criança desgarrada dos pais, por exemplo. Além disso Deus ouviu minhas orações e me guardou porque o local que parei, apesar de iluminado, é um pouco esquisito, e fiquei preucupado na hora por causa disso. E mais, como diria a propaganda da Polishop, tomei um susto danado porque o pessoal da SET (trânsito) passou pra saber do que se tratava, se não tinha sido acidente (porque acreditem, do outro lado da rua, poucos instantes antes, fiquei sabendo pelo taxista que me pegou, houvera um engavetamento com quatro veículos), e foram embora sem perguntar mais nada, o que foi bom, porque meus documentos estão vencidos (a proposito, tenho que pagá-los com urgência), e eles poderiam até reter meu carro, o que não seria bom.

Bem, chega, deixa eu ir dormir antes que piore. Deus nos abençoe e continue me guardando.

Anúncios