Acidente de tráfego

Romanos 8:28 Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

Ontem no final da tarde, quando estava quase chegando em casa, literalmente do outro lado da rua, precisei frear para manter uma distância de segurança para o veículo à minha frente que se encontrava parado, quando de repente senti aquele impacto vindo da traseira do meu carro. Um motociclista havia colidido com sua moto na parte de trás do meu automóvel.

Tomado de susto, solitei que ele encostasse para pedir seus dados, avaliar os estragos e ver como seria pago o conserto.

Imediatamente o cara se exaltou e disse que a culpa era minha *por ter freado*, coisa bem de baiano, e, apesar de me dar seus dados, saiu dizendo que não ia pagar nada. Entrei no meu carro e atrevessei a rua, chegando em casa, para verificar no sítio da SET – Superintendência de Engenharia de Tráfego – qual o telefone e o local onde poderia registrar um boletim de ocorrência. Fui informado e segui para lá.

Hoje por volta de uma e pouco da tarde liguei para a empresa na qual o cidadão trabalhava. Falei com o que parecia ser o gerente ou o dono, que ouviu meu relato e confirmou a versão que o motociclista havia contado. Inclusive afirmou que o mesmo nem boletim de ocorrência, ou qualquer dado a meu respeito ele tinha coletado, e o motoqueiro ainda tinha discutido com o dono da empresa.

Ele enviou um funcionário para conversar comigo para mandarmos consertar meu carro, o qual, ao chegar e dar uma olhada no mesmo, se comprometeu a pagar por todo o inconveniente.

Mas… o que tem a ver o versículo?

O funcionário que veio falar comigo era evangélico. Mais do que isso, o homem, que eu falei inclusive com seu funcionário que pedisse desculpas por ter possivelmente sido um pouco rude ao telefone, devido às circunstâncias e já, graças a Deus erroneamente, antevendo uma possível solução "à baiana", disse ao mesmo que havia estranhado alguem numa situação dessas ter sido tão educado ao telefone. Esse homem também era evangélico. A propósito, quando o funcionário mencionou que ambos eram evangélicos, o que percebi ao falar com eles ao telefone, e mais ainda ao vivo, também falei que era, batista.

Eu orei a Deus pedindo justiça, no caso que meu prejuízo fosse ressarcido, pois não tinha ou tenho intenção de prejudicar ninguém, mas também não posso arcar com o erro alheio. O dono da empresa me disse que o motoqueiro foi despedido essa manhã, deu a entender que ele agiu errado, e segundo o outro funcionário, essa não foi a primeira vez.

Deus é bom, misericordioso, e quando a Palavra fala que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, é todas mesmo, inclusive os acidentes de tráfego.

Anúncios