Você conhece Jesus?

“E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” Mateus 7:23

Quantos aqui conhecem Ivete Sangalo? Certamente você já ouviu falar nela, uma das cantoras mais famosas do Brasil. Mas o que realmente você conhece a seu respeito? Talvez saiba que tem trinta e poucos anos, que tem um filho, que é baiana… Mas o que mais você sabe a seu respeito? Sabe o nome de seus familiares, quanto pesa, qual o seu gosto para determinados tipos de roupas, o que a agrada, o que a deixa triste? Vou um pouco mais além, se você diz que conhece Ivete Sangalo então certamente poderei admitir que ela também te conhece, que frequenta sua casa e você a dela, que ela pode te contar coisas que só você irá saber, inclusive coisas do seu coração. Será que isso tudo é verdade Ou será que você não conhece de fato Ivete Sangalo?

Agora vou mudar um pouco o foco… Quem aqui conhece o próprio pai, a mãe ou o irmão, talvez o namorado, esposa ou filhos? Bem, esta pergunta pode parecer meio absurda, pois falei de membros da nossa própria família. Talvez até namorado ou amigos ainda vá lá, mas família, como não os conhecer se convivemos com eles diariamente, muitas vezes mais até do que gostaríamos hehehe… Se eu perguntar o que mais te chateia a respeito do seu irmão, com certeza você me responderia com isso, aquilo ou aquilo outro. Lógico, você conhece seu irmão. Dificilmente você erraria ao lhe dar um presente, pois você sabe seus gostos pessoais, e desgostos também. Igualmente se eu perguntasse se você frequenta a casa de seus pais, se troca uma idéia com eles, quais suas experiências de vida junto com eles, provavelmente você responderia que sim e passaria a contar histórias e mais histórias vividas por vocês, algumas muito legais e engraçadas, outras nem tanto, tristes até.

Deixe-me perguntar agora uma coisa, você conhece Jesus?

Calma. Antes de responder essa pergunta, lembre-se do que falei nos dois parágrafos anteriores. Não estou aqui perguntando da figura histórica do carpinteiro que viveu há cerca de dois mil anos atrás e cuja história você já deve ter lido em algum lugar, ou visto em algum filme dos muitos que passam na TV ou no cinema na época da páscoa. Também não estou falando do Jesus das aulas de religião ou da missa ou culto que você era obrigado a ir enquanto criança. O Jesus que estou tentando falar aqui é o Rei dos reis, Senhor dos senhores sim, que foi carpinteiro, viveu e morreu há dois mil anos sim, mas ressucitou e mais do que isso tudo, vive em todo aquele que O recebeu em seu coração. O Jesus que estou tentando descrever pra você é muito mais do que uma figura histórica, porque ainda que Ele tivesse feito toda a obra que fez, de importância inigualável, nos resgatando do inferno para voltarmos aos braços do Pai, se tivesse simplesmente voltado ao céu e não mais se importasse comigo e com você, não seria grande coisa. Tá, já seria mais do que suficiente para sermos gratos a Ele pelo resto de nossas vidas. Mas Jesus não se contenta com isso. Jesus é o único deus (e não vou nem entrar aqui no mérito de discutir religião, de Ele ser O Único deus, literalmente) de qualquer religião que se fez homem (João 1:14) para estar no meio de sua criação, o único que quis se relacionar com suas criaturas de maneira pessoal e isso é maravilhoso. Jesus quer se relacionar comigo e com você todos os dias, e isso é uma das coisas que demonstra o seu amor, o seu carinho, o seu compromisso para conosco, a relevância dEle mesmo em nossas vidas ainda hoje. Jesus nos chama mais do que reles criaturas, servos; mais do que simples servos, amigos; mais do que bons amigos, somos feitos filhos do Pai (João 1:12). Qual o deus fez isso por você que não Ele, qual líder religioso poderia dar a própria vida por amor de mim ou de você? Ninguém! Só Jesus.

Voltemos à pergunta. Você já se sente mais confiante para respondê-la? Vamos lá, você conhece Jesus? Você sabe do que Ele gosta, do que não gosta? Sabe qual sua opinião sobre determinado assunto, quais Seus sonhos, aquilo que está em Seu pensamento ou em Seu coração? Sabe como Ele reagiria frente a uma situação A ou B, que conselhos daria a alguém que passasse por um problema? É, talvez seja um pouco mais “complicado” do que você imaginava. Continuemos. Como eu falei, conhecer implica em se relacionar, então se você não faz a menor idéia de quais seriam as respostas para as perguntas acima, talvez você deva repensar o seu relacionamento com Cristo, se é que você um dia abriu a porta do seu coração e convidou Jesus para entrar (Apocalipse 3:20), morar com você, se relacionar com você, comer com você, sair com você, bater papo com você, ou seja, fazer tudo aquilo que se espera que um amigo ou um familiar próximo faria com você. Somente se relacionando com Jesus é que você irá conhecê-lo e Ele irá conhecer você também.

Então, você pode se perguntar, como eu me relaciono com Jesus? A resposta não é muito diferente do que seria o imaginável para qualquer outro relacionamento, ou seja, gastando tempo com Ele. Se você deseja conhecer o Mestre e ser conhecido por Ele, tem que necessariamente investir nesse relacionamento. Relacionamento é uma via de mão dupla onde ambos devem investir. No nosso relacionamento com Cristo, a parte dEle já está feita, e não estou falando apenas da obra salvadora na cruz do Calvário, senão também pela predisposição em demonstrar o Seu amor, o Seu perdão, em se fazer realmente conhecer por nós. Falta o que então? A nossa parte. Buscá-lo através da oração, conversando com Ele, contando como foi nosso dia, quais são nossas angústias, nossas aflições, nossas dificuldades, nossas alegrias, nossos sonhos, nossos desejos. Mas lembre-se que esta conversa não é um monólogo, então temos que ouvir a Sua voz através da Palavra, da Bíblia sagrada, estarmos atentos para o que Ele quer ministrar ao nosso coração de maneiras tão sutis quanto uma suave brisa, ou talvez de maneiras bem explícitas e sobrenaturais como por tantas vezes lemos nas Escrituras, ou que, com o tempo e a experiência, nós mesmos poderemos experimentar em nossas próprias vidas.

O desafio que deixo a você, e que tenho tomado como inspiração e motivação para minha vida, é que você busque conhecer esse Jesus. Que seu relacionamento com Ele não seja mera religião, pois cá entre nós, eu tenho certeza que você não se relaciona com quem é próximo a você, quem você ama e que te ama de volta, cheio de dedos, com medo ou com excesso de formalismos, por mais rigorosa que possa ter sido sua criação, por exemplo. A Bíblia fala em Jeremias 29:13 “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração”, ou seja, busque a Jesus de todo o seu coração que certamente você irá conhecê-lo profundamente. Aliás, Oséias 6:3 nos motiva justamente a isso: “Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra”. Que nós possamos desejar um nível de intimidade com o Senhor cada vez maior, e é nesse pensamento que eu encerro, pois somos chamados na Palavra de Deus de noiva de Cristo e é curioso que algumas versões da Bíblia descrevem a relação sexual entre homem e mulher como sendo o homem conhecendo a mulher, pois é quando são uma só carne que um tem maior intimidade com o outro, que ambos se dão a conhecer por completo. Esse é o nível de intimidade que devemos buscar em nosso relacionamento com Jesus, sermos um com Ele e Ele um conosco. Dessa forma saberemos os desejos do Seu coração para nossas vidas, quais Seus sonhos para nós, e teremos prazer em fazer a Sua vontade, iremos conhecê-Lo e Ele a nós profundamente, seremos com Deus verdadeiramente mais do que criaturas, servos; mais do que servos, amigos; mais do que amigos, filhos.

Deus nos abençoe.

Anúncios