Injustiça de Deus

Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade.
Não reprovará perpetuamente, nem para sempre reterá a sua ira.
Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades. – Salmos 103:8-10

Pense consigo mesmo quantas vezes você orou a Deus pedindo justiça.

Mas que justiça seria essa?

Justiça contra alguém que te perseguiu ou fez mal?

Justiça por algo que você fez de “bom” e que achou que deveria ser reconhecido ou recompensado?

Será mesmo que na balança da nossa vida, no cômputo geral, temos algo a reclamar com Deus, será que temos noção do que seria de verdade pedir a justiça de Deus sabendo que a aplicação de tal justiça significaria a nossa própria e merecida morte?

Graças ao bom Deus que Ele não me trata com justiça, só tenho a agradecer por sua “injustiça”, porque o que mereço só eu sei bem que é a morte, então eu tenho muito a agradecer mesmo é pela misericórdia de Deus, porque demonstra seu amor por mim mesmo eu fazendo de tudo para não merecê-lo, pois Ele verdadeiramente não nos trata, não me trata segundo os meus pecados, nem me recompensa conforme as minhas maldades.

Anúncios

Igreja, o melhor lugar para se estar

Como é agradável o lugar da tua habitação, Senhor dos Exércitos!
A minha alma anela, e até desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo.
Até o pardal achou um lar, e a andorinha um ninho para si, para abrigar os seus filhotes, um lugar perto do teu altar, ó Senhor dos Exércitos, meu Rei e meu Deus.
Como são felizes os que habitam em tua casa; louvam-te sem cessar!
Como são felizes os que em ti encontram sua força, e os que são peregrinos de coração!
[…]
Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar; prefiro ficar à porta da casa do meu Deus a habitar nas tendas dos ímpios. – Salmos 84:1-5, 10

Assim como o salmista tinha a percepção, dada por Deus e recebida por seu espírito que permanecia sensível à voz do Pai, de que a casa do Senhor é o melhor lugar para estar, lugar de comunhão com Deus e com seu povo, que nenhum outro lugar, por mais prazeroso que possa ser, pode sequer ser comparado a estar na presença do Eterno, que eu e você possamos hoje olhar em volta, para nossas vidas, e percebermos quais os lugares, as programações, os eventos que têm ocupado primazia, preferência, prioridade em nossa agenda.

Nós somos casa, não um templo feito por mãos humanas, mas ainda hoje o melhor lugar para estarmos certamente é na igreja onde podemos desfrutar de modo coletivo e comunitário da festa, do banquete oferecido por Deus a seus filhos, onde podemos retribuir como família em agradecimento e louvor ao Pai por todas as bençãos que nos tem concedido.

Confiar em Deus

Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!
Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.
Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR.
Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto. – Jeremias 17:5-8

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. – Salmos 1:1-3

O texto de Jeremias 17 imediatamente me salta aos olhos como aparente citação do texto do salmo primeiro.

Em ambos os textos vemos o mal que é por nossa confiança, nossa força, nos atributos, qualidades e virtudes humanas, pois todo ser humano é falho, e não podemos nem devemos confiar cegamente em ninguém.

Também vemos os maus conselhos a que damos ouvidos e que nos desviam dos caminhos do Senhor.

Mas os textos acima não são só advertências ou más notícias; ao contrário, ambos falam de esperança e alegria para aquele que confia no Senhor e deposita nele a sua força.

Esse não desfalece, não é desapontado, mas permanece firme, recobra suas forças quando tudo ao seu redor parece ir mal, quando tudo é sequidão e tormento ele é como uma árvore frondosa que não murcha, não perde suas folhas, antes continua dando fruto, sendo o sustento que muitos ao seu lado precisarão, um lugar de conforto e consolação para o abatido que jaz neste mundo em que habitamos.